Entenda o que é a Síndrome de Kawasaki, doença infantil relacionada ao coronavírus

Foto: Imagem de press 👍 and ⭐ por Pixabay

Com a pandemia do coronavírus, que já completa um ano no Brasil, uma outra doença associada vem chamando a atenção de médicos e pais: a Síndrome de Kawasaki.

A Síndrome de Kawasaki é uma doença que causa inflamação, principalmente dos vasos coronarianos, e é mais comum em crianças entre um e cinco anos de idade. Adultos também podem desenvolver a Síndrome, embora seja raro.

Médicos têm observado uma relação entre crianças que contraem covid-19 e a Síndrome. No Reino Unido, por exemplo, desde janeiro estão sendo registradas cerca de 100 internações semanais de crianças com Síndrome de Kawasaki associada à covid-19.

No Brasil, até setembro de 2020 foram registradas 197 crianças com a Síndrome. No Distrito Federal, os casos da Síndrome aumentaram em 31% em dois meses, passando de 12 para 21, totalizando 55.

Segundo a médica Patrícia Rezende, do Hospital Prontobaby, no Rio de Janeiro, a ciência ainda desconhece o motivo da associação entre a doença de Kawasaki e a covid-19. O que se sabe é que a Síndrome pode ser desencadeada após o processo infeccioso, mas também pode surgir por causas desconhecidas.

E, por enquanto, ainda não se sabe ao certo a porcentagem de crianças com covid-19 que desenvolvem a Síndrome de Kawasaki. “Não existe nada na literatura médica que fale sobre esses números”, diz.

O principal sintoma da de Kawasaki é febre alta por mais de cinco dias, olhos vermelhos sem secreção, lábios avermelhados, língua com aspecto de morango (aumento das papilas) e inchaço das mãos e dos pés. Lesões de pele também podem aparecer, mas não são imprescindíveis para um diagnóstico. Atendimento médico deve ser procurado se a febre persistir por 72 horas.

Na maioria das vezes a doença é benigna. Mas, como há o risco de formação de aneurismas, é importante que o dignóstico e o acompanhamento médico sejam feitos o quanto antes.

O principal tratamento é o uso da imunoglobulina humana, obtida por meio do plasma, que funciona como um imunoregulador. Em alguns casos pode ser necessário utilizar ácido acetilsalicílico e medicações à base de corticoides.

Sabe-se que a doença de Kawasaki associada ao covid-19 causa distúrbios circulatórios e aneurismas mais frequentes, já que a atividade inflamatória é muito maior na doença pós covid-19 do que em crianças que não foram infectadas pelo vírus.

Deixe uma resposta