Escolas na Grande SP reabrem com protocolo hospitalar e sala de isolamento

Escolas na Grande SP reabrem com protocolo hospitalar e sala de isolamento
Imagem: Reprodução/Instagram

Depois de mais de seis meses fechadas, escolas particulares de três cidades da Grande SP – Santana de Parnaíba, Carapicuíba e Franco da Rocha – reabriram para atividades de reforço, seguindo padrões rígidos de higiene. Segundo o UOL, as medidas incluem protocolo hospitalar e sala de isolamento.

LEIA MAIS:

Uma televisão com orientações em relação às fases de contaminação do novo coronavírus foi colocada na entrada da Escola Primeiro Passo. Em caso de confirmação de um caso de covid-19, a instituição promete limpar o ambiente com um produto desinfetante “voltado para hospitais”, além de designar uma sala reserva para cada faixa etária enquanto o local contaminado estiver sendo higienizado.

Segundo a direção, cerca de 80 dos mais de 300 alunos se sentiram seguros para voltar às aulas presenciais. Embora as crianças se sentissem menos apreensivas com o retorno gradual, para Rafael Bittencourt, diretor da escola, houve um retrocesso socioemocional e cognitivo. Trazer de volta os alunos ao convívio é um dos desafios educacionais durante a pandemia.

O educador cita também a disparidade de confiança dos pais nas redes pública e privada de ensino. “Fizemos uma pesquisa e vimos que 80% dos pais topavam voltar. Já na Prefeitura foi ao contrário: 80% não quer os filhos de volta na escola”, afirmou ao UOL.

Para reabrir, o Colégio Pentágono contratou uma consultoria do Hospital Israelita Albert Einstein para auxiliar nos protocolos de higiene. Antes de entrar na escola, é preciso preencher um questionário relatando qualquer sintoma da covid-19 ou se teve contato com alguém contaminado nos últimos 14 dias.

As salas de aula se transformaram em “bolhas” de 15 alunos. Ou seja, se um estudante for contaminado, os colegas da “bolha” também devem fazer a quarentena em casa durante duas semanas. Além disso, o colégio montou uma “sala covid”, onde um enfermeiro estará pronto para atendimento em caso de suspeita da doença.

A volta das turmas será escalonada, e o sistema de ensino, híbrido, sendo uma semana na escola e duas em casa. A escola investiu ainda em um sistema de captação de áudio para transmitir as aulas ao vivo para quem optar por não retornar às aulas nesse momento.

Mas nem todas as cidades da Grande SP seguem o mesmo calendário quanto à reabertura das escolas. Itapevi e Barueri decidiram que as instituições municipais permanecerão fechadas até 2021, enquanto os colégios particulares podem voltar a funcionar.