Fique atento aos sintomas de câncer infantil

Foto: abbamouse / Creative Commons

Dia 8 de abril é o Dia Mundial de Combate ao Câncer. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), cerca de 12 mil crianças e adolescentes são diagnosticadas com câncer anualmente no Brasil, o que representa uma média de 32 casos por dia. Essa é a primeira causa de morte por doença na população infanto-juvenil.

Ninguém espera que uma doença como o câncer atinja crianças, e essa possibilidade apavora os pais. Mas, se um tumor for identificado na fase inicial da doença, a cura é atingida em cerca de 70% dos casos.

Por isso, os pais devem ficar atentos a problemas persistentes. Entre os sintomas mais comuns de câncer infanto-juvenil, estão:

– Dores de cabeça pela manhã e vômito
– Caroços no pescoço, nas axilas e na virilha, ínguas que não somem
– Dores nas pernas que não passam e atrapalham as atividades das crianças
– Manchas arroxeadas na pele, como hematomas ou pintinhas vermelhas
– Aumento de tamanho de barriga
– Brilho branco em um ou nos dois olhos quando a criança sai em fotografias com flash

Muitos desses sintomas são semelhantes aos de várias doenças infantis comuns. Mas, se eles não desaparecerem em um prazo de 7 a 10 dias, é preciso voltar ao médico e insistir para obter um diagnóstico mais detalhado com exames laboratoriais ou radiológicos.

Leucemia
O câncer mais comum na infância é a leucemia. A doença tem origem na medula óssea, o tutano dos ossos, onde é normalmente produzido o sangue. A leucemia tem, como sintomas mais comuns, dor nos ossos ou nas articulações, palidez, manchas roxas, sangramentos, febre, abatimento, etc.

Existem vários tipos de leucemia e ela é diagnosticada através do mielograma, um exame do sangue de dentro do osso.

Mas a leucemia não atinge apenas a medula óssea. A doença pode também acometer os testículos, endurecendo-os, e o líquor (líquido da espinha), provocando dores de cabeça e vômitos.

As leucemias podem ter índices de cura de até 80% quando tratadas com quimioterapia. Em alguns casos, podem-se indicar também radioterapia e transplante de medula.

Fonte: Graacc