Meditação para iniciantes: 10 passos para ensinar as crianças a relaxar a mente

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil sofre de uma epidemia de ansiedade. O País é a nação com o maior índice de pessoas com transtornos de ansiedade: 9,3% dos brasileiros. E 5,8% da população é afetada pela depressão. O atual cenário de pandemia de coronavírus e isolamento social podem vir a piorar esses números ainda mais.

LEIA TAMBÉM:
Sociedade Brasileira de Pediatria alerta: não é recomendado o uso de cloroquina em crianças
Podcast: como cuidar da saúde mental das crianças nesta quarentena?
Casas relaxantes: designers revelam como criar ambientes que ajudam a reduzir a ansiedade

Uma das práticas que pode ajudar a prevenir ou melhorar o quadro de quem sofre de ansiedade é a meditação, que também é usada como ferramenta pedagógica em algumas escolas, já que ela ajuda no processo de aprendizagem. A meditação para crianças contribuiu para a capacidade de concentração e de envolvimento dos alunos nas atividades.

Veja as dicas fáceis e práticas do coordenador do Núcleo de Atividades Complementares (NAC) do Colégio Marista Asa Sul, Diego Andrade, e do psicólogo Pedro Braga, do grupo Marista Escolas Sociais, para ensinar as crianças a meditar:

1 – Escolha um horário para meditar. Separe um momento para a meditação antes de realizar as atividades escolares ou antes dos momentos de lazer, por exemplo;

2 – Reserve um local específico para a meditação;

3 – Vista roupas confortáveis;

4 – Sente em posição confortável (no chão ou em uma cadeira, se preferir);

5 – Deixe a coluna reta, mas não rígida;

6 – Feche os olhos e respire lenta e profundamente. Ensine as crianças a perceberem sua respiração e explique como ela é importante para a nossa qualidade de vida;

7 – Desligue-se do mundo externo, até que os sons ao redor se tornem imperceptíveis;

8 – No começo, a meditação pode ser desconfortável. Por isso, é importante respeitar os limites das crianças. Mostre a elas que ficar em silêncio pode ajudar ela a estudar e brincar com mais tranquilidade ao longo do dia;

9 – Respeite o tempo da criança, comece com poucos minutos e vá aumentando aos poucos, conforme o hábito for se instalando. A meditação não deve ser uma imposição, mas sim uma atividade confortável.

10 – As crianças e os adolescentes podem fazer perguntas antes de começar. É importante responder todas as dúvidas. Depois da meditação, converse e pergunte como eles se sentiram, incentivandoa prática no próximo dia.