Metade dos professores não sabe se estudantes aprendem em aulas online, diz pesquisa

Metade dos professores não sabe se estudantes aprendem em aulas online, diz pesquisa
Imagem de Annie Spratt por Unsplash

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Crescer, divulgada pelo UOL, constatou que quase metade dos professores (46%) não sabe se os estudantes estão, de fato, aprendendo nas aulas online. Já se passaram mais de seis meses desde o fechamento das escolas e da suspensão das aulas presenciais por causa da pandemia de coronavírus.

LEIA MAIS:

Foram entrevistados 528 professores de educação básica e do ensino superior que atuam em escolas públicas e privadas, entre os dias 1º e 17 de setembro, por meio de um formulário virtual.

O levantamento mostra também que 87% dos docentes usam recursos tecnológicos diariamente para realizar as atividades remotas com os alunos. Além disso, os professores estão se esforçando para se adequar aos novos modelos de educação.

A maior parte deles (61%) afirma não ter contado com ajuda externa para aprender a utilizar os recursos tecnológicos necessários para a realização das atividades virtuais, enquanto 54% dizem ter recebido orientações de colegas professores. Já 42% alegam ter participado de programas de formação institucional.

“Eles já estão conseguindo redesenhar suas aulas, estão conseguindo usar tecnologias, estão pensando em novas propostas de avaliação, mas tudo isso é um processo muito inicial”, afirma Luciana Allan, diretora do Instituto Crescer, ao UOL.

Para a especialista, é preciso investir na formação dos educadores para que eles possam explorar melhor os recursos tecnológicos à disposição para as práticas pedagógicas, transformando as aulas online em oportunidade de aprendizado significativa para os estudantes.

A maior frustração para 57% dos professores durante a pandemia foi a constatação de que, por maior que seja o empenho deles, poucos alunos aproveitam os conteúdos digitais para fins pedagógicos por falta de infraestrutura.

Quase metade dos docentes (48%) tenta adaptar completamente as atividades previstas para a sala de aula ao ambiente virtual e 44% dizem fazer pequenos ajustes no conteúdo para que elas sejam mais adequadas ao ensino a distância.