Itaú Cultural lança festival online de artes cênicas

O Itaú Cultural lança, nesta sexta-feira (17), o “Festival Arte como Respiro – Edição Cênicas”, com 26 obras exibidas no site do Itaú Cultural durante 24h, cada uma. O festival de artes cênicas é realizado para apoiar artistas de diferentes áreas impactados pelo distanciamento social por conta da pandemia do covid-19.

LEIA TAMBÉM:
Veja guia de brincadeiras da Abrinq para entreter as crianças na quarentena
10 ideias de brincadeira para as crianças se exercitarem na quarentena
“A Fuga das Galinhas” terá sequência na Netflix

O festival começa nesta sexta-feira (17) e vai até domingo (19), e depois volta no dia 22, quarta-feira,  e segue até 26 (domingo). São ao todo 26 trabalhos, para começar, divididos nesses dois períodos. As apresentações para crianças serão sempre às 15h, iniciando no sábado (18) e as obras adultas serão apresentadas às 20h. Cada obra ficará no ar por 24h, para ceder espaço para a apresentação do dia seguinte.

Serão oito apresentações para o público infantil, entre espetáculos e intervenções, com diversas temáticas. Entre as companhias que se apresentam estão Cia Circo da Lua, Cia. Vagalum tum tum, Circo de Québra, Caravana Tapioca, Cia. Pavio de Abajur e Teatro Por Um Triz.

Veja a programação para o público infantil:

Sábado, 18 de julho, às 15h:


MultiplicArte (BA)

Companhia Circo da Lua
festival de artes cênicas Itaú Cultural
MultiplicArte / Companhia Circo da Lua / Imagem: Mirna Nóbrega

Dois palhaços, uma pandemia e muita arte! Cansados de ficar sozinhos em casa, os palhaços Carrapicho e Andorinha encontram uma maneira de mudar a sua realidade com arte e magia.

Duração aproximada: 6 minutos
Disponível até as 15h de 19 de julho

Shake Shake Show (SP)
Cia. Vagalum Tum Tum
Shake Shake Show / Cia. Vagalum Tum Tum / Imagem: Amanda Areias

Duração aproximada: 62 minutos
Disponível até as 15h de 19 de julho

Domingo, 19 de julho, às 15h
O Concerto (SP)
Wandré Gouveia
O Concerto / Wandré Gouveia / Imagem: André Stefano

Uma lavanderia-ateliê pode oferecer diversos desafios que para um palhaço passam a ser divertidas possibilidades. Elementos pendurados no varal, um curto espaço de 2 m x 2 m e, claro, o isolamento social. É o momento de um “grande músico” apresentar todo o seu talento, banhado a muita charlatanice em um concerto de muito respeito. Contando com improváveis recursos, que unem uma maleta mágica habitada por um pássaro, habilidades musicais e brinquedos infantis, o músico esbarra em problemas mais improváveis ainda, colocando em xeque fragilidades humanas e os medos e descobertas que podem envolver um artista no momento de sua apresentação.

Duração aproximada: 8 minutos
Disponível até as 15h de 20 de julho

A Menina do Kung Fu (SP) – com interpretação em Libras
Ávila Produções
A Menina do Kung Fu / Ávila Produções / Imagem: Bruno Coqueiro

Duração aproximada: 48 minutos
Disponível até as 15h de 20 de julho

 

Sábado, 25 de julho, às 15h 
Batata Quente
Caravana Tapioca
Batata Quente / Caravana Tapioca / Divulgação

Versão adaptada para o vídeo de uma cena da peça Chá Comigo. A personagem Nina ensina de maneira muito engraçada como cozinhar batatas para fazer uma receita deliciosa, recheada de humor. A criançada também pode conferir neste dia

 

Guia Improvável para Corpos Mutantes
Airton Tomazzoni
Guia Improvável para Corpos Mutantes / Airton Tomazzoni / Foto: Marcelo Cabrera

Um grupo de bailarinos busca redescobrir as possibilidades do corpo para se modificar por si só. Eles criam um universo imaginário e lúdico para o corpo que dança, abordando temas como o incentivo à criatividade, o respeito às diferenças, a afirmação da diversidade e os sabores e desafios da tecnologia na atualidade.

 

Domingo, 26 de julho, às 15h

Transmutação do Vazio
Cia. Pavio de Abajour 

Transmutação do Vazio / Cia. Pavio de Abajour / Divulgação

 

Tendo como ponto de partida a mutação da lagarta em borboleta, a personagem central busca ver o confinamento no casulo não como renúncia à liberdade, mas como oportunidade de se conectar e de dar ouvidos ao vazio de cada um.  

 

O Mistério do Sapato Desaparecido
Teatro Por Um Triz
O Mistério do Sapato Desaparecido / Teatro Por Um Triz / Foto: Jean Charles Mandou

Um sapato-detetive sai à procura do sapato da Cinderela, que sumiu, e acaba chegando em uma sapataria que reúne famosos calçados das histórias infantis, como a Bota Sete Léguas, do Pequeno Polegar, de Charles Perrault, e os Sapatinhos Vermelhos, de Hans Christian Andersen. Para interagir com a plateia, mesmo virtualmente, o grupo exibe na sequência o vídeo O Sapato, no qual propõe para as crianças uma brincadeira com os que elas têm em casa.