0

Atrações para as crianças agitam a 24ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo

14900464898_c8646298de_z

Começa nessa sexta (26) a Bienal do Livro de São Paulo. Selecionamos algumas atrações e atividades para crianças que vão acontecer durante o evento.

Veja a lista completa de atrações dos expositores nesse link.

Além dos eventos destacados aqui, vários Youtubers e autores de livros infantojuvenis vão participar de sessões de autógrafos. A maioria delas já está com as senhas esgotadas, mas é possível encontrar celebridades ainda disponíveis aqui e aqui.

A Bienal será realizada no Pavilhão do Anhembi até o dia 4 de setembro:
Av. Olavo Fontoura, 1209, Santana
Ingressos:
Segunda a quinta: R$ 20,00
Sexta a domingo: R$ 25,00
Meia-entrada: Estudante e matriculados Sesc credencial plena
Menores de 12 anos e maiores de 60 não pagam ingresso
Pacote família: 3 ingressos com 10% de desconto

* Espaço Mauricio de Sousa *
A Bienal montou um espaço permanente de 500 m² dedicado à obra do escritor e ilustrador. Os visitantes serão recepcionados por uma Mônica de três metros de altura e, antes de entrar na área principal, as crianças poderão deixar sua contribuição artística, pintando painéis ilustrados com os personagens.

O espaço contará com um escorregador de rolinhos, como o do Parque da Mônica, parede de escalada, teatro de fantoches e espaço em que as crianças poderão colorir desenhos com os personagens. Os pequenos também poderão passar por um processo de personalização e produção de um livro (R$ 39,90). Para completar, a exposição “Mauricio 80” trará uma linha do tempo com os melhores momentos da vida do ilustrador, desde quando era um jovem desenhista na década de 60 até os dias atuais.

* BiblioSesc – Praça de Histórias *
Esse espaço dentro da Bienal vai trazer diversas a apresentações e contações de histórias que podem atrair a criançada. Veja nossos destaques abaixo e clique aqui para a programação completa.

As Aventuras do Meu Avô – com Karina Gianechinni
Era uma vez uma casa e uma família trivial. Pai, mãe, filha mocinha, bebê chorão, Rafael, o filho do meio, e o avô. Esse último, depois de ficar viúvo, queria aproveitar cada minuto da vida como se fosse um adolescente! Tarefa gostosa, porém difícil, para um velhinho traquinas e muito divertido.
Quando: 26/08 (Ssxta), das 14h às 15h

O Cavaleiro Verde – Cia do Liquidificador
História do príncipe do reino de Acelóis, que todas as noites assume a forma de um grande papagaio e voa até o quarto de uma princesa, onde passam a noite conversando. Essa relação desperta a ira e inveja da madrasta da princesa, que atrai o príncipe para uma armadilha mortal. E agora? Será que a valente princesa conseguirá salvar o príncipe e ganhar a sua mão?
Quando: 27/08 (sábado), das 11h às 12h

As Três Laranjas do Amor – com Cristiane Velasco
Adaptação do conto popular espanhol, a partir da fusão de cantigas tradicionais brasileiras, danças e ritmos flamencos. A história conta as aventuras de um príncipe triste que parte em busca de três laranjas mágicas.
Quando: 28/08 (domingo), das 11h às 12h

Pé na Estrada – com Cia Conto em Cantos
Viajar, trilhar, voar e navegar com histórias deste e de outros mundos. “Sete irmãos”, conto judaico, “A moça maça”, fábula italiana, “Os Monstros não gostam da lua”, de Marjane Satrapi, “A Cigana que sabia tudo”, conto tradicional cigano, entre outras.
Quando: 31/08 (quarta), das 14h às 15h

Encontro com as Águas – O Anel da Tartaruga – com o grupo O Toque do Beija-Flor
Baseada no livro O Anel da Tartaruga, é uma dinâmica apresentação que une teatro, narração, poesia e músicas inéditas. O elenco formado pelo próprio autor do texto e por mais duas atrizes, conta a história da tartaruga Juliana que sente-se especial por causa do anel que tem na cintura, o qual ela acredita ser uma joia. Com a ajuda de um esperto salmão, ela descobre que o mar está repleto de lixo, que compromete a vida dos animais marinhos, inclusive a dela (seu anel nada mais é do que um anel de garrafa PET, que a deformou, impedindo-a de desovar). Mas, em vez de desanimar com essa descoberta, ela toma uma atitude para que seus amigos não sejam prejudicados, como ela foi.
Quando: 01/09 (quinta), das 10h3o às 11h

15076006772_76eb3da25b_z.jpg

* BiblioSesc – Praça da Palavra *
O segundo espaço do Sesc também terá atrações interessantes para os pequenos e seus papais. Confira:

Quando os Bichos Cantam
a contadora de estórias Fabiana Rubira proporciona aos seus ouvintes um mergulho na memória ancestral que está na base da nossa formação humana, para que se possa encontrar os fios que nos enlaçam e nos permitem fazer parte da grande trama da vida, desde a época em que os bichos falavam e cantavam.
Quando: 27/08 (sábado), das 11h às 12h

Sarauzinho com Manuí: Culturas populares do Brasil
A apresentação tem o objetivo de partilhar histórias, mitos e contos tradicionais e de grandes autores, cantorias, revelar a sonoridade das cordas, foles, batuques e brincadeiras da cultura popular brasileira e de criativos compositores. Com participação especial de Ana Maria Carvalho, herdeira das tradições populares do Maranhão e uma das fundadoras do Grupo Cupuaçu, e Rosângela Macedo, fundadora do Grupo Sambaqui, que permeia manifestações culturais da área cultural caipira.
Quando: 27/08 (sábado), das 12h30 às 13:30

Debate sobre contação de história para bebês
Fábio Lisboa e Denise Guilherme conversam sobre a importância da contação de histórias na primeira infância, partindo de suas experiências.
Quando: 27/08 (sábado), das 15h às 16h

* Aula Show – Delícias de recreio – com chef Rebeca Chamma *
A cozinheira mirim já participou dos programas Cocoricó, na TV Cultura, e Mini Chef, do canal Fox Life.
Onde: Espaço Cozinhando com Palavras
Quando: 03/09 (sábado), das 10h30 às 12h30

* Atividades com Luna e Ever After High *
A Salamandra lança na Bienal os livros “Como o mundo funciona” e “Natureza”, da série “O Show da Luna”; e “Ciência e Feitiçaria” e “Beijos e Feitiços”, da coleção Ever After High. Além disso, quem visitar o estande contará com atividades como: jogo de memória e oficina de origami da Luna; oficina de dedoches do Drufs – realizada pela Ópera Cómica e inspirada no lançamento de Eva Furnari – além de atividades de desenho e pintura da Luna.

A personagem principal da animação “O Show da Luna”, seu irmão Júpiter e o furão de estimação Cláudio estarão presentes para fotos com a garotada. Também marcarão presença as personagens de “Ever After High”; Raven Queen e Apple White.

Onde: Estande da Editora Salamandra
Quando:
Sessão de fotos com a Luna
– 27/8 (sábado), às 14h.
– 31/8 (quarta), às 16h.
– 03/9 (sábado), às 15h
– 04/9 (domingo), às 13h

Sessão de fotos e autógrafos Ever After High
– 03/9 (sábado), às 17h

Show de ciências da Luna
– 27/08 (sábado), às 11h
– 28/08 (domingo), às 15h
– 02/09 (sexta), às 15h
– 11/08 (sábado), às 11h

Jogo da memória da Luna
– 27/8 (sábado), às 11h30.
– 31/8 (quarta), às 15h.
– 03/9 (sábado), às 15h.

Oficina de Origami
– 27/8 (sábado), às 14h.
– 28/8 (domingo), às 16h.
– 03/9 (sábado), às 11h.

Oficina de Dedoches de Drufs (Eva Furnari)
– 28/8 (domingo), às 11h30.
– 31/8 (quarta), às 11h30.
– 04/9 (domingo), às 11h30.

Oficina de Desenho e Pintura
– 26/8 (sexta) – das 11h às 17h
– 27/8 (sábado) – das 11h às 17h
– 28/8 (domingo) – das 11h às 17h
– 29/8 (segunda) – das 11h às 17h
– 30/8 (terça) – das 11h às 17h
– 31/8 (quarta) – das 11h às 17h
– 01/09 (quinta) – das 11h às 17h
– 02/09 (sexta) – das 11h às 17h
– 03/09 (sábado) – das 11h às 17h
– 04/09 (domingo) – das 11h às 17h

* Sessão de autógrafos com Pedro Bandeira *
Um dos maiores escritores da literatura infantojuvenil no Brasil, com mais de 20 milhões de exemplares vendidos, e autor da clássica série “Os Karas” estará no evento relançando oito títulos de seu acervo, como “Alice no País da Mentira”, “Brincadeira Mortal”, “Gente de Estimação”, “O Grande Desafio”, “Descanse em paz meu amor…” e “Prova de Fogo”

Onde: Estande da Editora Moderna
Quando:
– 27/08 (sábado), às 16h
– 30/08 (terça), às 11h
– 01/09 (quinta), às 14h

Presença de personagens:

* Sessão de Fotos com a Hello Kitty *
A editora Ciranda Culltural estará apresentando, na Bienal, a coleção de livros de banho da Hello Kitty, criada para deixar os momentos na banheira, no chuveiro, praia ou piscina mais divertidos.
Onde: Estande da editora Ciranda Cultural
Quando: 28/08 (domingo), das 10h às 13h

* Presença dos personagens de A Patrulha Canina *
Onde: Estande da editora Melhoramentos
Quando: 01/09 (quinta), das 16h às 16h20

* Presença dos personagens Mônica e Cebolinha *
Onde: Estande da editora Girassol
Quando: 03/09 (sábado), das 17h às 17h20

Fotos: Divulgação

0

Livro conta como é a experiência de contratar uma barriga de aluguel

TeteRibeiro_filhas©RenatoParada_11.jpg

A jornalista Teté Ribeiro com as filhas, Rita e Cecília, geradas por uma barriga de aluguel

Você já se perguntou como é passar pela experiência de ter outra mulher gerando um filho seu, e ainda por cima em um país distante? Parece enredo de novela, mas a história contada no livro “Minhas Duas Meninas” (Cia das Letras), da jornalista Teté Ribeiro, é bem real. A autora conta como foi a decisão dela e do marido de procurarem uma clínica na Índia para contratar um “útero de substituição” (o termo mais correto para barriga de aluguel).

Teté e o marido tentaram ter um filho de todas as maneiras. Ela chegou a engravidar naturalmente em uma ocasião,mas a gestação não evoluiu. O casal tentou indução de ovulação, quatro inseminações artificiais e várias rodadas de fertilização in vitro, incluindo técnicas experimentais. Foram sete anos de tentativas frustradas, com o todo o desgaste emocional, físico e financeiro que esses tratamentos acarretam, mas o útero de Teté sofria de “falta de aderência”. Os embriões produzidos em laboratório eram saudáveis. Mas, implantados no útero da jornalista, não se desenvolviam.

Foi então que a jornalista soube, por um dos vários médicos pelos quais passou, que na Índia havia clínicas especializadas em úteros de substituição. E, assim, Teté e o marido optaram por essa maneira nada convencional de gerar descendentes.

A Índia, além de ter clínicas especializadas e renomadas, equipadas com alta tecnologia, oferece esse serviço a um preço bem mais baixo do que outros lugares onde esse método é permitido. Por lá, todo o procedimento de Teté custou US$ 31.500, enquanto que nos Estados Unidos, por exemplo, os valores começam em US$ 100 mil.

Minhas Duas Meninas.jpgNo livro, Teté conta de maneira emocionante e bem humorada como foi passar por todo o processo de tentar engravidar sem sucesso, como foi acompanhar a gestação de suas gêmeas à distância e a sua estadia na Índia, quando as meninas nasceram. A jornalista se programou para chegar à Índia antes do nascimento dos bebês. O marido seguiria depois. Mas a mãe de aluguel entrou em trabalho de parto antes do previsto e Teté foi surpreendida com a notícia de que suas filhas já haviam nascido depois que desembarcou no país.

“Era uma solidão absoluta, ao mesmo tempo testemunhada por pessoas que eu via pela primeira vez. Porque eu estava sem nenhum conhecido ao meu lado naquele momento? Quem ia me dizer que é assim mesmo, que a surpresa parece mais com um choque do que com qualquer manifestação de felicidade?”, diz Teté sobre o momento que antecedeu sua entrada na UTI neonatal para ver as filhas pela primeira vez.

Depois que tiveram alta do hospital, Teté, o marido e as bebês ainda ficaram no país por quase um mês, para que as crianças ganhassem peso o suficiente para receber o aval dos médicos para voarem de volta ao Brasil.

Tete_bebes

Teté Ribeiro com o marido, Sérgio Dávila, e as bebês Cecília e Rita no hotel em Anand, Índia, onde ficaram por quase um mês esperando as meninas ganharem peso para voltarem ao Brasil

A jornalista também fala sobre a complexidade da sociedade indiana, com suas castas e rígidas relações familiares e matrimoniais, reflete sobre a condição da mulher naquele país e conta a história de Vanita, sua barriga de aluguel, e de outras moças que optaram por essa “profissão”. Na clínica escolhida por Teté, as mulheres que atuam como barrigas de aluguel ficam hospedadas todas juntas em uma casa, podendo receber visitas do marido e dos filhos, e recebem alimentação balanceadas, passam por diversos exames e podem frequentar cursos diversos. Ao final do processo, recebem cerca de US$ 8 mil.

Pode parecer duro ficar afastada da própria casa durante nove meses. Mas, em um país pobre onde o salário mínimo gira em torno de US$ 70 por mês, alugar o próprio útero pode significar uma mudança e tanto no nível de conforto da família. Com a quantia recebida, Vanita pagou dívidas e guardou dinheiro para garantir os estudos do filho.

Tete Ribeiro

Teté Ribeiro e o marido, Sérgio Dávila, posam para foto com Vanita, sua barriga de aluguel, o marido Sandip e o filho Aarav, em um hotel na Índia

No Brasil
“O método de útero de substituição pode ser indicado nos casos de mulheres que precisaram remover o útero, quando há falhas na implantação do embrião no útero da mãe ou quando a mulher tem condições de saúde que tornam uma gestação arriscada, como cardiopatias, diabetes descontrolada ou transplante renal”, diz Patrícia Arie, médica da clínica de fertilidade Vivitá, em São Paulo. Também pode ser um método de reprodução para casais homossexuais masculinos.

Mas, diferentemente dos outros países já mencionados, aqui no Brasil não se pode contratar uma barriga de aluguel. O útero de substituição é permitido desde que a mãe que vai gestar o bebê seja parente próxima de um dos membros do casal (mãe, tia, prima ou irmã) e não receba nenhuma compensação financeira. Caso o casal não tenha alguma familiar que possa servir como barriga de aluguel, é possível pedir uma autorização na Justiça para que outra mulher ocupe esse papel.

Curiosidades
– A barriga de aluguel foi legalizada na Índia em 2002 e movimenta US$ 1 bilhão por ano.

– Um contrato detalhado e a legislação do país garantem que os país biológicos tenham total direito sobre o bebê. Não existe a possibilidade de a barriga de aluguel se arrepender e conseguir a guarda da criança. A legislação local também facilita o registro do bebê diretamente no nome dos pais biológicos. No Brasil, a criança é registrada primeiro no nome da mãe de aluguel. Depois o registro é transferido para os verdadeiros pais. 

– Na Índia, é proibido por lei que o médico revele o sexo do (s) bebês (s) durante os ultrassons que acompanham uma gestação, mesmo no caso de a mãe ser estrangeira. Isso acontece porque, nas classes média e baixa indianas, é comum o aborto provocado de bebês do sexo feminino.

– Algumas mães que contratam barriga de aluguel optam por não ter contato nenhum com a dona do útero de substituição. Mas, se ambas as partes desejarem, elas podem se encontrar onde e quando quiserem.

– Igualmente, a mãe “contratante” pode combinar com a barriga de aluguel que esta forneça leite materno para o bebê, em troca de um pagamento extra. A mãe que gestou a criança pode dar o peito para o bebê ou extrair o leite e mandar para o hotel dos pais biológicos.

– Há um projeto de lei, previsto para ser votado ainda em 2016, que, se aprovado, proibirá  estrangeiros e indianos expatriados de fazerem uso das barrigas de aluguel no país.

Fotos:
1 – Renato Parada / Divulgação
2 – Arquivo pessoal
3 – Arquivo pessoal

0

Prepare-se para amamentar seu bebê ainda na gravidez

5205274432_ab2c1efb51_z.jpg

O nascimento de um filho pode trazer muita insegurança para uma mulher, principalmente se ela for mãe de primeira viagem. Um dos principais motivos para essa insegurança é a amamentação. Acertar a pega da boca do bebê no seio, lidar com as dores e desconfortos nas primeiras semanas e ficar em dúvida se a quantidade de leite que a criança está mamando são alguns fatores que podem causar estresse na mãe.

Leia também:
Mitos e verdades sobre amamentação
Lugar de bebê é no chão

Para te ajudar a se preparar melhor para lidar com esse momento maravilhoso, mas muito desafiador e difícil, preparamos algumas dicas de coisas para fazer antes do bebê nascer. Lembrando que, entre 1 e 7 de agosto, se comemora a Semana Mundial de Aleitamento Materno.

1 – Marque uma consulta e converse com um pediatra ANTES do bebê nascer, para tirar suas dúvidas sobre amamentação. Por volta da 32ª semana é um bom momento. É bacana também procurar um profissional especializado em aleitamento materno, como uma enfermeira da área. Bancos de leite e maternidades da sua região podem indicar pessoas.

2 – Antes de decidir onde você vai ter seu filho, procure saber se a maternidade é amiga da amamentação, ou seja, se permite que o bebê fique junto com a mãe durante a internação e se seus profissionais orientam as mães a respeito do aleitamento. Procure saber se os médicos permitem e incentivam a amamentação na primeira hora de nascimento do bebê, o que é importante para a descida do leite e para fortalecer o vínculo afetivo com a mãe.

3 – Se você tiver mamilos planos ou invertidos e alguém te disser que você não vai conseguir amamentar por causa disso, fuja dessa pessoa. Existem no mercado conchas especiais que ajudam a formar o bico do seio. Além disso, a pega correta pressupõe que o bebê abocanhe a aréola toda, não só o mamilo (aliás, se ele pegar só o mamilo, vai doer bastante). Então não ter um mamilo saliente não vai impedir a amamentação.

4 – Se você quiser e tiver um espaço para isso, pode tomar sol nos seios durante a gestação. Isso ajuda a fortalecer a pele dos mamilos. Evite o período entre 11h e 16h.

5 – Procure vídeos no YouTube que mostrem como é a pega correta do bebê no seio. Uma das orientações é segurar o peito formando um “C”, ajudando a criança a abocanhar o mamilo e grande parte da aréola. Outra dica é aprender a fazer a ordenha manual quando o peito está muito cheio, para fazer a pega. É importante aprender essas técnicas antes do parto. Veja como é a ordenha:


6 – Quando for planejar o quarto do bebê, pense se você vai ter um lugar confortável para amamentar. Algumas acham que uma poltrona de amamentação é um trambolho dispensável, outras pensam ser um móvel fundamental. Eu, particularmente, usei muito minha poltrona. Principalmente nas primeiras semanas/meses, você vai precisar de um lugar bastante confortável para amamentar. Primeiro porque ainda está pegando o jeito, segundo porque você vai passar muitas horas do dia e da noite fazendo isso (depois a gente se acostuma a amamentar no sofá, na cama, de pé, de qualquer jeito). A poltrona ajuda muito por dar apoio aos braços da mãe. Também vale a pena comprar uma almofada de amamentação, que mais para frente também pode servir para ajudar a apoiar as costas do bebê no chão, quando ele estiver aprendendo a sentar.

Fontes: Luciana Herrero, pediatra; Cartilha de Amamentação Fraldas Capricho

Foto: Al van Akker88x31 (2)