0

Dicas para alugar carro com cadeirinha em viagens com crianças

Nessas férias de janeiro fizemos uma viagem incrível em família para o Mato Grosso, passando por Bom Jardim, distrito de Nobres, cidade conhecida pelos rios cristalinos cheios de peixes, cachoeiras e paisagens lindas, e também indo até o Pantanal. Em breve teremos post sobre esses destinos.

Leia também:
6 dicas para viajar com crianças
Passear com criança é tudo de bom!

Como iríamos chegar em Cuiabá de avião e conhecer dois destinos em lados opostos – Nobres fica ao Norte da capital mato-grossense, e o Pantanal fica mais ao Sul, decidimos alugar um carro para facilitar os deslocamentos.

Eu nunca tinha alugado carro em uma viagem antes, muito menos com as crianças. Então fui pesquisar preços e verificar se as agências tinham cadeiras/assentos elevatórios disponíveis. Meus filhos estão em uma idade (cinco anos) e peso em que eles tanto podem usar cadeiras infantis quanto os assentos elevatórios.

Mas não pensei que fosse ser difícil encontrar uma locadora de veículos que tivesse as cadeirinhas disponíveis.

Primeiro levantei três locadoras entre as mais conhecidas que contam com agências próximas ao aeroporto: Localiza/Hertz, Movida e Unidas, e comecei as pesquisas.

Entrei no site da Localiza e esbarrei na primeira dificuldade: não havia a opção de, ao fazer a reserva pelo site, optar pelo adicional da cadeirinha. Liguei na agência de Cuiabá e a atendente confirmou que não era possível reservar esse assessório pelo site, e que só dava para saber se haveria alguma cadeira disponível no momento da retirada do carro. Ah, que ótimo, pensei, você chega lá com a criança e descobre na hora que não tem cadeira? Como pegar estrada desse jeito?

Hoje, ao escrever esse post, entrei de novo no site e vi que apareceu a opção de reservar a cadeira. Liguei novamente na agência e a atendente me falou que, ao contrário do que a primeira atendente tinha me informado, é possível sim reservar as cadeirinhas com antecedência. Mas, quando essa opção não aparece no site, é porque não há assentos disponíveis naquela agência, para aquela data. Aí precisa ligar na central de atendimento e eles vão verificar se realmente não há disponibilidade e avisar o cliente. Enfim, achei as informações desencontradas e um caminho não tão prático para quem quer fazer a reserva 100% online.

Já desisti dessa locadora e passei para a próxima, a Movida. Outro percalço: no formulário de reserva do site só era possível selecionar uma cadeira/assento, e eu precisava de duas. Liguei na agência e a atendente confirmou que era aquilo mesmo: só dava para reservar uma cadeira. Ironicamente respondi que então ia fazer uni-duni-tê com meus filhos para decidir qual dos dois viajaria seguro na cadeira e qual viajaria solto no banco. Ela sugeriu que eu fizesse duas reservas, com uma cadeira em cada uma, e na hora de retirar o carro eu pegaria as duas cadeiras e cancelaria uma das reservas. A atendente também sugeriu que, na véspera da viagem, eu ligasse para a agência para ver se tinha alguma cadeira disponível e aí então eles as guardariam para mim. Eram algumas saídas, mas não queria correr o risco de não conseguir as cadeiras na véspera da viagem e fiquei irritada com a falta de praticidade de ter que fazer duas reservas.

Aliás, uma das atendentes ou da Localiza, ou da Movidas, me deu a seguinte (e absurda) sugestão: ela disse que alguns clientes, ao chegar na agência e não encontrar cadeirinhas disponíveis, pegavam o carro e saíam para comprar uma. Legal, né? Você chega lá, quer pegar o carro para seguir viagem e tem que rodar pela cidade (que muitas vezes você não conhece) para encontrar uma loja e comprar uma cadeirinha. Sem contar o gasto imprevisto. E depois, na hora de ir embora. você faz o que com a cadeira? Totalmente sem noção.

Chico_carroEntão parti para a terceira opção. Visitei o site da Unidas e, finalmente, encontrei um sistema que permitia reservar duas cadeiras de uma vez só. Fiz a reserva em poucos minutos. Depois, liguei na agência para garantir que eles reservariam mesmo as cadeiras, porque não queria ter uma surpresa negativa de chegar na hora e o estoque ter esgotado, algo assim. A atendente foi super solícita, garantiu que as cadeiras estariam lá e ainda me perguntou a idade das crianças e disse que ia deixar separadas tanto as cadeiras quanto os assentos, para eu verificar na hora quais se ajustariam melhor ao tamanho dos meus filhos. Claro que, com esse atendimento personalizado e simpático, optei pela Unidas.

Quanto aos preços, pelas simulações que eu fiz no site, com carros de categorias semelhantes, verifiquei que a locadora mais em conta das três era a Movida, seguida pela Unidas, com uma diferença pequena de valor, e em terceiro lugar a Localiza, a mais cara das três.

Então, para quem vai viajar com crianças em carro alugado, sugiro seguir esses passos:

– Pesquise quais agências estão disponíveis próximas do aeroporto ou rodoviária, se for o caso, onde você vai chegar. Veja se eles têm serviço de transfer gratuito do aeroporto para a agência;

– Entre nos sites das agências e compare os preços. Não se esqueça de escolher categorias semelhantes de automóveis — com ou sem ar-condicionado (mas escolha com ar, pelo amor do seu conforto!); motor 1.0, 1.4 ou 1.60, se é sedan ou hatch etc — se não a comparação não vai fazer sentido. E verifique também se o tamanho do porta-malas do carro é compatível com a sua bagagem. Nos escolhemos um carro pequeno, para economizar, e nossas malas couberam justinho. Se tivéssemos muita bagagem, teríamos que alugar um automóvel maior;

– Reserve as cadeiras ou assentos de elevação junto com a reserva do carro, pelo site ou, se a locadora não oferecer essa opção, por telefone. Se tiver dúvida, ligue para a agência para se certificar de que eles têm o equipamento certo para o tamanho do seu filho (bebê conforto, cadeira ou assento de elevação);

– Ao alugar o carro, você vai precisar pagar por um seguro contra roubos e batidas. Quer dizer, não é obrigatório, mas é altamente recomendável, pois se acontecer algo o seu prejuízo será muito maior. Algumas bandeiras de cartão de crédito oferecem esse tipo de seguro sem custo adicional se você pagar pelo aluguel com o cartão deles. Verifique se é o caso do seu. No nosso caso, nosso cartão oferecia esse seguro, mas não cobria danos a terceiros, ou seja, se nós batêssemos em outro carro. Então contratamos com a locadora somente esse seguro (eles são separados, um seguro é para se o carro alugado for roubado ou baterem nele, e o outro seguro é se você, locatário, bater em outro carro), e foi bem baratinho.

Então é isso, certifique-se de que a locadora fornece a cadeirinha apropriada para o seu filho, não corra riscos desnecessários e boa viagem!

OBS: Esse NÃO é um post pago, apenas um relato de uma cliente que realmente usou o serviço 

Anúncios
1

6 dicas para viajar com crianças

Viagem com crianças

Conhecer novos lugares é uma das maneiras mais divertidas e compensadoras de passar um tempo com os filhos. Novos sabores, cheiros, paisagens, pessoas, animais…tudo isso é estímulo para os pequenos e rende memórias incríveis para a família.

Veja também:
Vídeo: Os desafios e delícias de criar gêmeos
Incentive seu filho a desenhar

Mas viajar com criança dá trabalho. Veja algumas dicas para facilitar a tarefa de organizar uma escapada com os filhos.

1 – Decida o tipo de viagem que você quer fazer
Viajar com criança pequena é cansativo. Por isso, avalie se você está disposto a encarar um voo longo ou muitas horas de estrada, ou se vale mesmo a pena ir para um destino difícil de chegar. Se o seu estilo de viagem está mais para bater perna nas cidades ou fazer vários passeios, pense se você vai ter o mesmo pique para fazer tudo isso com as crias a tiracolo. Saiba que você vai ter que respeitar o ritmo das crianças e talvez não consiga visitar todas as atrações desejadas. Se o intuito for descansar, considere pesquisar pacotes para resorts all inclusive, mesmo se o seu estilo de viajante não seja ficar parado em um lugar só. Há vantagens nessa modalidade: você não precisa se preocupar com as refeições dos pequenos (geralmente esses estabelecimentos têm cardápios pensados para eles) nem com gastos extras. Além disso, esse tipo de hotel costuma ter atividades com monitores e espaços especiais para as crianças, como piscina infantil, parquinho e brinquedoteca. Pode não resultar na viagem mais emocionante da vida, mas a diversão é garantida.

2 – No avião
Tenha à mão um frasco de soro fisiológico para pingar no nariz das crianças durante o voo e combater a secura do ar das aeronaves. Outra dica é oferecer o peito ou a mamadeira para os bebês na decolagem e no pouso. O ato de sugar ajuda a amenizar dores de ouvido. Leve água para a mamadeira numa garrafinha, para não ter de depender de esperar que os comissários tragam para você. Mas leve uma garrafa lacrada, para não ter problemas no embarque. Tenha também na mala de mão remédios prescritos pelo pediatra para dores e enjoos. Brinquedos, vídeos no celular ou no tablet e papel para desenhar ajudam a distrair. Leve giz de cera para pintar, pela praticidade: canetinhas mancham tecidos e lápis precisam ser apontados.

3 – No carro
Não se esqueça de levar água e algum petisco para beliscar. Leve também mantinhas ou protetores para prender na janela e barrar o sol e uma almofada de pescoço para a criança. Outro item útil para se ter à mão é o lenço umedecido: serve para limpar as mãos antes e depois de comer ou para conter qualquer sujeira que caia no carro, como um suco derramado.

4 – Na mala
Leve um frasco pequeno com sabão líquido para roupas. Você pode lavar algumas peças no local e economizar na quantidade de itens na mala. Detergente de louça, pano de prato e escova para mamadeira, para limpar os utensílios da criança, também são úteis. Pacotes de fralda ocupam muito espaço, então abra-os e espalhe as fraldas pela mala. Leve mosquiteiro para berço se for para a praia ou campo.

5 – Praia e piscina
Leve fraldas para piscina e boias. Para os bebês que ainda não usam as de braço, existem as “boias fralda”, nas quais a criança fica sentada. Vale a pena também levar uma pequena piscina inflável. Ocupa pouco espaço e é útil para levar para a praia se você tiver um bebê pequeno, que ainda não vai aproveitar o mar, mas pode se divertir com um pouco de água na piscininha. Baldinho e pá também são hits para brincar na areia, as crianças amam, vale a pena separar um espaço na mala para eles. Não se esqueça do chapéu/boné, protetor solar e repelente (de acordo com a indicação do pediatra). Experimente diferentes modelos de chapéu para escolher um que fique firme na cabeça da criança. Uma boa pedida são os bonés com abas laterais, que protegem bem o rosto (como o azul da foto abaixo).

IMG_0154[1]

6 – Farmacinha
Antes de viajar converse com seu pediatra e peça uma lista de todos os remédios que você deve levar (analgésico, antitérmico, pomada para picada de inseto, antialérgico etc.) e peça orientação sobre o que fazer em casos de emergência. Também não custa pesquisar antes quais são os hospitais mais próximos do hotel e checar se o seu plano de saúde cobre atendimento no destino.

E você, tem outras dicas? Compartilhe nos comentários.

Fotos: Juliana Tiraboschi / Todos os direitos reservados