Como ajudar a criança a dormir melhor

como ajudar a criança a dormir melhor
Imagem de Pexels por Pixabay

Em tempos de pandemia, a preocupação e a ansiedade podem nos roubas horas preciosas de sono. E as crianças não estão livres dessa angústia. Neste 19 de março, Dia Mundial do Sono, te damos algumas dicas para ajudar o seu filho a dormir melhor.

Segundo Rosana Cardoso Alves, médica neurologista, médica do sono e membro da Associação Brasileira do Sono, para que a criança consiga ter uma boa noite de sono é importante ter horários regulares não somente na hora de dormir, mas em outras atividades do dia, como refeições e cochilos, no caso de crianças abaixo de 4 anos. “Quanto mais regulares os horários, melhor, pois isso ajuda o relógio biológico da criança”, diz.

A exposição à luz também é muito importante para regular o sono. É recomendado iluminar bastante o ambiente de manhã cedo, na hora em que a criança acorda, para marcar bem essa diferença entre noite e dia.

Além de manter uma rotina com horários regulares, outra dica da médica é criar um ritual para o momento antes do sono. “Pode ser uma hora de leitura, dar um leitinho antes de escovar os dentes, banho, cantar uma cantiga, fazer uma oração, ou seja, cada família decide o que for mais simples e prático e agradável, tanto para os pais, como para a criança”, diz.

Também ajuda ter um objeto de transição, o “amiguinho de dormir”, que pode ser um paninho ou um bicho de pelúcia.

E é bastante importante evitar a exposição noturna a eletrônicos, como TV, tablet e celulares, já que a luminosidade atrapalha o sono e determinados conteúdos podem deixar a criança agitada, prejudicando o descanso.

Veja, na tabela abaixo, quantas horas a criança deve dormir, segundo a Fundação Nacional do Sono dos Estados Unidos.

como ajudar a criança a dormir melhor

0 a 3 meses – 14 a 17 horas de sono
4 a 11 meses – 12 a 15 horas de sono
1 a 2 anos – 11 a 14 horas de sono
3 a 5 anos – 10 a 13 horas de sono
6 a 13 anos – 9 a 11 horas de sono
14 a 17 anos – 8 a 10 horas de sono
18 a 25 anos – 7 a 9 horas de sono

Caso a criança realmente tenha muita dificuldade em dormir, mesmo seguindo essas orientações, recomenda-se procurar o pediatra para que o médico possa identificar se existe algum outro fator atrapalhando o sono, como refluxo ou alguma alergia.

Mas, na maioria dos casos, segundo Rosana, a insônia infantil é associada a comportamentos inadequados, quando a família tem dificuldade para impor horários, e também ao transtorno de associação, que quando é criado um hábito e a criança só dorme se se cumprir esse hábito, como ser embalada para dormir.

Se a dificuldade não tiver causas fisiológicas e for puramente comportamental, procurar uma terapia cognitivo comportamental pode ajudar.

Quanto a partir para uma terapia medicamentosa, é importante saber que remédios para dormir raramente são receitados para crianças abaixo de 6 anos, exceto para aquelas que já tenham um quadro neurológico ou psiquiátrico de base.

O otorrinolaringologista Danilo Sguillar, diretor da Associação Brasileira de Medicina do Sono (ABMS), dá mais algumas dicas para alcançar um sono mais tranquilo:

– Praticar yoga, meditação e práticas de mindfullness são extremamente benéficas para relaxamento e embalo do sono. É possível encontrar diversas playlists em aplicativos como Spotufy;

– Ouvir música calma ou mesmo sons da natureza como queda d’água, barulho de chuva ou fogueira queimando;

– Descobrir qual é o seu “gatilho” do sono: banho morno, beber leite quente ou um chá. Lembrando que deve-se evitar bebidas e alimentos com cafeína próximo da hora de deitar, por serem estimulantes.

3 comentários

  1. Parabéns pela matéria. Legal ter citado as práticas meditativas. Fazem parte das práticas integrativas outras terapias tão boas quanto essas como Reiki, acupuntura, hidroterapia, Florais de Bach que falo com propriedade e formação.Dentre outras como aromaterapia, musicoterapia,constelação familiar entre outras. Até @littlelilyfisio Lia Mori.

Deixe uma resposta